Morre, aos 70 anos, o trovador alucinado

ENCONTROS E DESENCONTROS – Belchior viveu o auge da carreira na segunda metade da década de 1970, quando vários artistas gravaram suas canções. Nas imagens, Belchior com a ex-esposa Angela, a mãe Dolores, a filha Camila, a irmã Angela, e os amigos Tota e Conceição Marques, nos 80 anos da mãe do compositor. Tota, com os filhos Rafael e Jéssica, Gilberto Gil e Belchior em Sobral. Com Veveu Arruda, prefeito de Sobral. Com Tarcísio Sardinha. Ednardo, Zé Tarcísio, Tota e Belchior

Após uma década voluntariamente fora de cena, Antônio Carlos Belchior foi-se aos 70 anos de idade. A notícia chegou ao público após Edna Assunção de Araújo, a companheira do artista, ter ligado para parentes informando que Belchior foi dormir, mas não acordou. O casal vivia em Santa Cruz do Sul (RS), a 120 km de Porto Alegre, em um exílio voluntário da vida artística do cantor e compositor. Foi lá que o músico sofreu uma parada cardíaca, horas após realizar uma pequena apresentação.
Compositor cearense entre os mais notórios do cancioneiro popular brasileiro, Belchior conheceu a fama na década de 1970, quando morava no Rio de Janeiro e teve canções gravadas por Elis Regina, incluindo Como Nossos Pais. A carreira decolou como um foguete. Ele gravou discos, emplacou sucessos, colecionou namoradas e compôs hinos que atravessaram gerações.

Apenas um rapaz…
Cinco anos antes de Alucinação ganhar as emissoras de radio, Belchior era um estudante de Medicina da UFC. Circulava em importantes corredores da cultura de Fortaleza – como o Bar do Anísio, na Beira Mar – e trabalhava no programa da TV Ceará Porque Hoje é Sábado, que apresentou a nova geração da música local. Mas foi em 1971, em uma viagem cheia de percalços, que Belchior conseguiu projetar suas composições nacionalmente. Deixou para trás a faculdade e a vida em Fortaleza. Juntou os pertences e foi para o Rio de Janeiro.

Discografia Completa:

1974 – Belchior (Continental – LP)
1976 – Alucinação (Polygram – LP/CD/K7)
1977 – Coração Selvagem (Warner – LP/CD/K7)
1978 – Todos os Sentidos (Warner – LP/CD/K7)
1979 – Era uma Vez um Homem e Seu Tempo/Medo de Avião (Warner – LP/CD/K7)
1980 – Objeto Direto (Warner – LP)
1982 – Paraíso (Warner – LP)
1984 – Cenas do Próximo Capítulo (Paraíso/Odeon – LP)
1986 – Um show – 10 anos de sucesso (Continental – LP/ K7)
1987 – Melodrama (Polygram – LP/K7)
1988 – Elogio da Loucura (Polygram – LP/K7)
1990 – Trilhas sonoras (Continental – CD/ LP/ K7)
1992 – Eldorado – com Eduardo Larbanois e Mario Carrero (Movieplay – CD)
1993 – Baihuno (MoviePlay – CD)
1995 – Um concerto bárbaro (Polygram – CD)
1996 – Vício Elegante (Paraíso/GPA/Velas – CD)
1999 – Auto -Retrato (BMG – CD)
2004 – As várias Caras de Drummond

Belchior em 1974 

 

(Leia Mais Em Cultura)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s