MPF/AP suspeita de irregularidades em contrato

INSENSÍVEIS - Incêndio em Laranjal do Jari deixou 450 famílias desabrigadas. As casas estão sendo construídas para essas vítimas
INSENSÍVEIS – Incêndio em Laranjal do Jari deixou 450 famílias desabrigadas. As casas estão sendo construídas para essas vítimas

O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) recomendou à Caixa Econômica Federal (CEF) a suspensão imediata do repasse de verbas para a construção de mais de 200 unidades habitacionais em Laranjal do Jari. Em investigação conduzida pelo órgão, foram detectadas irregularidades na execução do contrato de R$ 13 milhões firmado entre o Ministério da Integração Nacional, representado pela CEF, a Prefeitura e a empresa responsável pela construção das moradias. As casas seriam destinadas a famílias atingidas por incêndio ocorrido em 2006.
A recomendação é decorrente de inquérito aberto em 2014 pelo MPF/AP para apurar supostas irregularidades no contrato em questão. No curso da investigação, a CEF informou ao MPF/AP que a empresa responsável pela construção executou uma série de serviços em desacordo com o projeto aprovado. Acrescentou que já liberou o equivalente a 70% do valor dos recursos; contudo, as obras estão atrasadas. Diante das informações, o MPF/AP orienta à CEF que só volte a liberar recursos depois que a Prefeitura de Laranjal do Jari comprovar a execução física das obras das unidades habitacionais. (Leia Mais Em Cidade)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s