Curta as curtas

Candidatos bandidos em ação

Apesar da determinação do TRE em limitar o saque nas agências bancárias de Macapá, ficou evidente, pelas apreensões realizadas pela Polícia Federal na sexta-feira e no sábado, de que candidatos bandidos estavam com muito dinheiro escondido para gastar na madrugada de sábado para domingo, agindo principalmente nas periferias da cidade onde, se supõe, o eleitor é mais vulnerável porque é carente e dificilmente recusa dinheiro em troca do voto. Este é o pensamento de marginais, transmutados de candidatos, a exemplo de um conhecido lojista candidato à releição para deputado estadual que teve uma de suas lojas vasculhadas pela PF.

Os agentes encontraram, entre materiais que seriam utilizados para boca-de-urna, mais de R$ 55 mil em notas de R$ 10,00 e R$ 20,00. Pela disposição das cédulas, a PF aventou a hipótese de que a dinheirama seria usada para corromper eleitores em troca do voto no candidato à reeleição. Interessante que ninguém, em Macapá, ligado à Imprensa chapa-branca, ousou divulgar o nome do infrator. Claro, ele faz parte de uma conhecida família, com muita grana para gastar com publicidade, e também calar a boca dos inconvenientes.

Fran Júnior contra Paulo Silva

Foi de uma grosseria imensurável a atitude do ex-deputado Fran Júnior durante entrevista que ele concedeu ao programa Luiz Melo Entrevista, de sexta-feira, 1º de outubro. A vítima foi o jornalista Paulo Silva, que conheço apenas de esporádicos encontros profissionais, mas, que sempre foi cordial e elegante nesses raríssimos momentos.

Como costumo seguir o que recomenda o Grande Mestre Jesus Cristo,  o de tratar as pessoas conforme eu gostaria de ser tratado por elas, sempre retribui, de acordo com a situação, as deferências de Paulão para comigo. Não conheço Fran Júnior, mas sei do fato que ele “vomitou” no microfone do Luiz Melo. Paulão,  decano jornalista e radialista amapaense, ficou deveras indignado. Também, a reação dele não poderia ser diferente.

Além de ofender Paulo Silva, Fran desrespeitou o local de trabalho de Luiz Melo e, principalmente, agrediu, com seu linguajar de frequentador de “currutela”, os ouvintes do programa, provocando rubor nas muitas senhoras que certamente estavam sintonizadas na emissora naquele momento.

Lixo eleitoral nas ruas de Macapá

Comentário no Twitter, no início da tarde de domingo, 3 de outubro: Eu digo que os candidatos presentes nos “santinhos” espalhados pela rua deveriam pagar uma multa enorme!!!! #SujouPagou”. Concordo em tudo. Eu voto no Colégio Amapaense. Por volta das 12 cheguei na escola, no caminho para o hall milhares de “santinhos” de candidatos de todas as tendências, partidos e coligações. Uma sujeira geral.

Erra quem distribui, e erra quem recebe e atira no chão. Falta educação, urbanidade e respeito social. Uma pessoa que atira lixo na rua não merece o título de cidadã. Pelo contrário, deveria ser penalizada com multas pesadíssimas, como sugeriu o twitteiro autor do protesto-desabafo. Da mesma forma, os candidatos precisam ficar atentos para evitar que sua propaganda prejudique a cidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s