Para refletir

Esta história narrada por Moacir Rodrigues aconteceu na cidade de Passa Tempo, a 148 quilômetros de Belo Horizonte (MG). Mas, está prestes a se repetir em todas as cidades brasileiras.

No Amapá, com certeza. Acompanhe.

Discurso de político

Ainda era jovem, quando assisti um político fazer um discurso na minha pequena cidade e nunca consegui esquecê-lo. Falou mais ou menos assim:

Povo de Passa Tempo, eu não poderia deixar passar esta campanha sem ter a oportunidade de vir passar um pouco do meu tempo aqui com vocês. Efetivamente o tempo passa rapidamente aqui em Passa Tempo. Vim pra comunicar a todos e a todas que sou candidato a deputado e preciso do voto de cada um para ser eleito e representar de forma honesta e correta o povo desta cidade lá na Assembleia Legislativa.

Acho um absurdo uma cidade do tamanho desta de vocês não contar com linhas regulares de ônibus urbano. É uma judiação o que é feito com esta gente tão humilde, que só tem o direito de andar a cavalo, de carroças e de bicicletas, quando nas outras cidades a classe trabalhadora já anda nos coletivos. O sofrimento aqui ainda se torna maior quando se vê que a praça principal desta cidade fica num local mais alto do que os seus bairros mais populosos, o que faz com que o povo tenha que subir diariamente para essa região mais alta.

No entanto, uma coisa eu prometo e tenho certeza que ao ser eleito irei cumprir: Vou acabar com todas as subidas desta cidade ao mesmo tempo em que irei preservar todas as suas descidas para favorecer esse povo trabalhador. Outro absurdo, além da falta de emprego e de salário justo, é o fato de aqui não contar com a energia da Cemig e a água tratada da Copasa.

Ao assumir o meu cargo tomarei as duas providências, irei lutar para tratar a água desta cidade que anda muito maltratada e trazer a energia elétrica das cidades vizinhas, para que aqui se possa dar a luz com mais segurança e dignidade.

Não sei se vocês observaram que eu sou um homem trabalhador, a prova é que eu estou de camisa de mangas curtas. Assim evito até mesmo o trabalho de regaçar as mangas para mostrar a minha disposição para o trabalho. Não sou como esses candidatos que vêm aqui vestidos de ternos, todo enfeitados e que depois de eleitos, vão embora e se esquecem dos senhores para sempre. Eu não farei isso, virei sempre passar o tempo com os senhores. Se eu não cumprir, poderão me buscar preso lá na capital para prestar contas da minha atuação como deputado desse querido e sofrido povo passatempense.

Posso garantir para todos e para todas que ainda sou daqueles que cumprem a palavra, porque tenho esse bigode igual uma andorinha e ainda tenho condições de arrancar um fio dele para garantir as minhas ações. Também não posso esquecer de prometer aos senhores que eu irei ligar a rodovia Fernão Dias à rodovia Belo Horizonte/Rio, passando por Passa Tempo, para promover o progresso dessa cidade.

Por fim, eu ainda prometo que se os discos-voadores continuarem as aparições aqui na região eu mandarei construir um “discódromo” aqui no município para recepcionar os nossos visitantes…” Logo em seguida, despediu-se, foi embora, recebeu excelente votação na cidade e dela não se lembrou para coisa alguma. As descidas continuam e as subidas também. A estrada de asfalto, ligando as duas rodovias, mesmo passados mais de quarenta anos não foi construída. A água hoje é da Copasa e a energia elétrica da Cemig, mas por ações de outros parlamentares.

A outra promessa que não foi cumprida, mas que também não fez falta alguma, foi o fato de não ter construído o discódromo, porque os discos-voadores ainda continuam apenas rondando a cidade mas sem descer nem ao menos por um minuto para nos contar como são os políticos lá das outras galáxias. Só um lucro o povo humilde da cidade teve com as promessas não cumpridas. Foi escutando promessas e mais promessas que nunca foram cumpridas, aos poucos foi ficando mais ativo. Agora só vota em quem faz alguma coisa pela cidade e pela região.

Moacir Rodrigues

Anúncios

2 comentários em “Para refletir

  1. Prezado Senhor Emanoel,
    Sou filha do Moacir Rodrigues, que já faleceu, e fiquei muito honrada em ver que seus artigos ainda fazem sucesso!
    Grata.
    Alessandra

    1. Cara sra. Alessandra:

      Foi uma satisfação publicar um dos artigos de seu falecido pai. Sem dúvida, era um grande observador do cotidiano de seu tempo. Aproveito para me colocar à sua disposição e desejar-lhe muita saúde e paz.

      Saudações do

      Emanoel Reis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s