Ciro está fora

PSB decide que Ciro não vai disputar Presidência

Ao contrário do que andaram afirmando pelos blogues da vida, até em tom de “verdade absoluta”, na madrugada da sexta-feira, 23 de abril, Dia de São Jorge, o PSB decidiu que o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) não disputará, de jeito nenhum, a presidência da República. De acordo com nota de autoria dos jornalistas Vera Magalhães, Fernando Rodrigues e Maria Clara Cabral veiculada pela Agência Folha, às 03h27, “o PSB deve anunciar na próxima terça-feira que o deputado Ciro Gomes não será candidato a presidente da República”.

Portanto, o PSB do Amapá está livre, sim, para, se quiser, firmar qualquer aliança, inclusive com o PT da deputada federal Dalva Figueiredo ou com o PT do deputado estadual Joel Banha e do prefeito de Santana, Antônio Nogueira. E o suposto projeto político de uma coligação entre PSB e PT, com o deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB) como cabeça de chapa, pode ser realizado, sim.

LEIA MAIS SOBRE CIRO GOMES E CONFIRME COMO MINHA AVALIAÇÃO, LOGO ABAIXO (LULA, O INGRATALHÃO), ESTÁ CORRETA:

23/04/2010 – 09h49

Ciro diz que Lula “navega na maionese” e ataca correligionários

Ciro Gomes, deputado federal pelo PSB e até na noite de quinta-feira, 22, possível candidato à Presidência, disparou ao ver o partido retirar apoio à sua candidatura: “Lula está navegando na maionese”. Em entrevista, o pessebista fez referência ao “apoio desmedido” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a sua pré-candidata, a ex-ministra petista Dilma Rousseff.

“Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior: ninguém chega para ele e diz ‘Presidente, tenha calma’. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz”, disse.

Embora afirme que ele merece a alta aprovação de seu governo, Ciro diz que “Lula não é Deus”. Sua mágoa é com a influência do presidente nas resoluções internas de seu partido. “Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma.”

Para ele, a candidatura de Dilma pode sofrer revezes devido à atuação indevida de radicais no PT. “Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo.”

Ciro também criticou aquilo que ele classifica como subserviência ao PT por parte do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) e o vice-presidente da legenda, Roberto Amaral. “[Eles] não estão no nível que a História impõe”, disse.

Na entrevista, o deputado afirmou que pode deixar a política para viajar ou “virar intelectual” a partir da confirmação, no próximo dia 27, da retirada de sua candidatura.

Ciro ainda reforçou a ideia de que sua candidatura “trata-se de uma missão estratégica, que não será desempenhada por mais ninguém”. Ele diz acreditar que sua presença entre os presidenciáveis ajudaria a colocar em pauta durante os debates questões a serem enfrentadas nos primeiros anos de mandato do novo presidente.

“Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como estamos numa fase econômica aparentemente boa, a discussão fica escondida. Mas precisa ser feita.”

Segundo ele, Serra teria mais condições de enfrentar essa crise negociando uma coalizão com o PMDB.

23/04/2010 – 10h20

Lula só ajudará Ciro caso não ofereça ameaça à candidatura de Dilma

 Encerrada a reunião do PSB, em que foi decidida a retirada de sua pré-candidatura, Ciro Gomes (PSB) seguiu para um restaurante com sua mãe, dona Ana. “Se ele não for candidato, melhor não votar em ninguém”, recomendou ela.

Com a saída, a avaliação é que o presidente Lula só oferecerá a mão se Ciro não oferecer riscos à candidatura de Dilma Rousseff ao Planalto, à política de alianças PT-PMDB e o que surgir à sua frente.

Em reunião realizada ontem (22), a cúpula do PSB informou a Ciro que o partido está isolado politicamente e que isso dificultará sua candidatura ao Palácio do Planalto. Também revelou que a retirada de sua candidatura será oficializada na próxima semana. Até lá, o partido cumprirá um ritual para dar uma saída honrosa a Ciro: consultará os diretórios sobre uma aliança com o PT.

Ciro também foi avisado ontem, em reunião com a cúpula partidária, de que as conversas com a campanha de Dilma Rousseff avançaram e que o PSB entregou ao PT uma lista de cinco Estados em que espera alguma contrapartida dos aliados.

O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, disse que a prioridade é a de eleger uma bancada parlamentar maior e dar apoio aos candidatos ao governo.

 23/04/2010 – 11h23

“Ciro não está fora do páreo ainda”, diz presidente do PSB

Camila Campanerut

Em Brasília

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, negou nesta sexta-feira (23), após conversa com o presidente Lula em Brasília, que o deputado federal Ciro Gomes esteja fora das eleições. “Ele não está fora do páreo ainda. Vai depender de a maioria do partido entender se ele deve ser candidato”, disse.

Reportagem publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo” nesta sexta-feira aponta que o PSB já decidiu pela saída de Ciro da corrida presidencial, mas que o partido prepara um série de ritos para uma saída honrosa. Até a próxima terça-feira, o PSB deve consultar os diretórios estaduais sobre uma aliança com o PT.

Campos não quis comentar as declarações de Ciro em entrevista ao portal iG dizendo que o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, “é mais preparado, mais legítimo, mais capaz” do que Dilma Rousseff, pré-candidata do PT.

O presidente do PSB disse ainda que não seria árbitro da decisão de Ciro e que acompanhou durante um ano e seis meses os debates e viagens que compuseram o trabalho de pré-candidatura dele à presidência. “Quem disser que está decidido está mentindo. [..] Está chutando, está sendo mal informado”, afirmou.

O pessebista se negou a comentar um plano B caso Ciro Gomes não saia candidato a presidente e falou que a influência de Lula funcionaria como a de um “coordenador de campanha, mas quem decide são os militantes do PSB”.

Ciro aposta em Serra e diz que tucano ‘é mais preparado’

23 de abril de 2010 | 12h 56

AE – Agência Estado

Após ter a sua candidatura à Presidência da República negada pelo próprio partido, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) disparou hoje contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, e o PMDB, principal partido aliado do governo. O deputado disse que Lula “está navegando na maionese” e ainda previu uma vitória do pré-candidato do PSDB, José Serra, nas eleições. Para Ciro, o tucano “é mais preparado, mais legítimo, mais capaz” do que a pré-candidata petista.

O deputado previu uma vitória do ex-governador de São Paulo José Serra, seu desafeto histórico, nas eleições deste ano. “Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar esta eleição. Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz. Mais capaz inclusive de trair o conservadorismo e enfrentar a crise que conheceremos em um ou dois anos”, afirmou.

“Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como estamos numa fase econômica e aparentemente boa, a discussão fica escondida. Mas precisa ser feita.” Segundo o deputado, Dilma tem menos chance de enfrentar o problema do jeito que ele precisa ser enfrentado. “Como o PT, apoiado pelo PMDB, vai conseguir enfrentar esta crise? Dilma não aguenta. Serra tem mais chances de conseguir”, observou.

“Lula está navegando na maionese. Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior, ninguém chega para ele e diz: ”Presidente, tenha calma”. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz”, disse Ciro, em entrevista concedida ao site IG.

O deputado assumiu pela primeira vez que não deve ser candidato à Presidência e, oficialmente, aguardará a decisão da Executiva do partido, marcada para terça-feira da semana que vem.

Ciro afirmou que Lula merece a popularidade porque seu governo tem realizações, “mas ele não é Deus”. O deputado criticou a postura do Planalto, que lhe tirou “o direito de ser candidato”. “Mas quer saber? Relaxei. Eles não querem que eu seja candidato? Querem apoiar a Dilma? Que apoiem a Dilma. Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma.”

”Missão estratégica”

O deputado se comprometeu em acatar a decisão do PSB de apoiar a candidata petista, mas avisou que não vai se envolver na campanha. “Não me peçam para ir à televisão declarar o meu voto, que eu não vou. Sei lá. Vai ver viajo, vou virar intelectual. Vou fazer outra coisa.” Para Ciro, sua participação no pleito era “uma missão estratégica, que não será desempenhada por mais ninguém”.

Ciro acredita que a eleição deste ano será marcada por baixarias, entre as quais inclui uma ação de grupos radicais abrigados no PT. “Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo. Vai ser uma m?”, disse.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s