Esquentou

Cristina Almeida detona jornalista da BAND Amapá

Vereadora do PSB reage contra comentários de Luis Trindade

A Vereadora Cristina Almeida – PSB vem de público pedir o direito de resposta para o Programa Câmera Livre da Rede Bandeirantes de Televisão, canal 04, apresentado pelo Sr. Luis Trindade, exibido no dia 16 de março de 2010. Segundo comentários do apresentador, a vereadora Cristina Almeida não teria compromisso com questões relevantes para sociedade, pois durante um ano de mandato a mesma não conseguiu aprovar sequer um projeto de lei, o que demonstra a total desinformação do apresentador, além de ter encenado de forma exorbitante criticas sem fundamentos com total sentimento de descontrole ético no exercício de sua função. Haja vista que em um ano de mandato, Cristina Almeida foi a vereadora que mais apresentou projetos de lei na Câmara Municipal de Macapá, é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania (CDHC), membro da Comissão Tributária, Financeira e Orçamentária (CTFO) e Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher (CDDM).

Cristina Almeida leva como bandeira de luta o combate ao preconceito, discriminação e todas as formas correlatas de intolerância. Cristina também é grande defensora na batalha pela inclusão de políticas públicas para as mulheres, bem como os negros e homossexuais.

Além disso, é a única que possui Jornal Informativo Impresso de todos os vereadores daquela Casa do Povo, que apresenta todos os resultados do seu mandato circulando nos quatro cantos da cidade de Macapá e municípios afins, possui o Gabinete Itinerante Compromisso e Participação, que visita semanalmente os bairros de Macapá colhendo reivindicações da população, valendo ressaltar que no ano de 2009 o gabinete itinerante realizou 42 (quarenta e duas) reuniões comunitárias; nos finais de semana o gabinete se desloca até a zona rural intervindo com mais de 1.000 requerimentos a prefeitura de Macapá, conseguindo resultados e persistindo pelo crescimento da igualdade social da população amapaense. Outro grande projeto da vereadora é o “Capacitando para gerar renda”, onde mulheres de diversos bairros de Macapá e da zona rural recebem cursos de capacitação, cujo objetivo é o aumentar a renda de suas famílias.

Portanto caro apresentador pedimos encarecidamente que antes de se pronunciar ou vincular qualquer matéria que possa vir denegrir a imagem de Cristina Almeida se faça antes um levantamento no mandato da parlamentar.

Para conhecimento de toda imprensa e da comunidade macapaense abaixo relacionamos as lei e os projetos de lei de autoria da vereadora Cristina.

Leis aprovadas

Lei nº1606/09-PMM- instituindo a obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro-brasileira e africana na rede municipal de educação.

Lei nº1706/2009-PMM altera e acrescentam dispositivos da lei nº 1425/2005-PMM, que dispõe sobre a criação no município de Macapá, do conselho de integração e participação da comunidade negra.

Lei 1716/09-PMM- dispõe sobre a instituição do dia municipal contra a homofobia a ser comemorado anualmente no dia 17 de maio.

Lei n° 1714/09- PMM- institui o dia municipal da mulher negra latino americana e caribenha a ser comemorado, anualmente, dia 25 de junho e dá outras providências.

Lei nº1715/2009-PMM- instituindo o dia no âmbito do município de Macapá, o dia municipal do policial, policial civil e bombeiro militar feminino do estado do Amapá a ser comemorado anualmente no dia 1º de junho.

Lei n° 1720/09- PMM- dispõe sobre o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescente das comunidades quilombolas do município de Macapá.

Lei nº1609/2009-PMM- altera e acrescentam dispositivos da lei nº 353/89-PMM, que dispõe sobre a criação dos direitos da mulher COMDIM/07.

Projeto De Lei Nº 097/2009 CMM- dispõe sobre a gratuidade do transporte coletivo urbano e rural para o acompanhante da pessoa portadora de deficiência locomotora, aos idosos e dá outras providências.

Projeto De Lei N° 108/2009 CMM – dispõe sobre as garantias para realização, desenvolvimento e preservação das manifestações culturais tradicionais das matrizes africanas e nativas no âmbito do município de Macapá e dá outras providências.

Projeto de lei n° 107/2009 CMM – dispõe sobre a criação do dia da consciência negra no município de Macapá, a ser comemorado, anualmente, no dia 20 de novembro.

Projeto de lei n° 005/2010 – CMM/CDHC – dispondo sobre a instituição no âmbito do município de Macapá o dia da visibilidade lésbica a ser comemorado anualmente no dia 29 de agosto.

Projeto de lei n° 006/2010 – CMM/CDHC – dispondo sobre a instituição e introdução no calendário cultural a parada do orgulho LGBT – Lésbica, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – do meio do mundo, no âmbito do município de Macapá.

Projeto de lei n° 121/2009 – CMM – alterando a denominação da escola municipal de ensino fundamental Campina Grande, que passa a denominar-se Escola Municipal de ensino Fundamental Campina Grande Valmito Moraes Brazão.

Anúncios

Um comentário em “Esquentou

  1. DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA…

    “As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
    têm direito inalienável à Verdade, Memória,
    História e Justiça!” Otoniel Ajala Dourado

    O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA

    No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato “JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA”, paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.

    O CRIME DE LESA HUMANIDADE

    O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.

    A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS

    Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza – CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos

    A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO

    A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.

    AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5

    A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;

    A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA

    A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.

    QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA

    A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do “GEOPARK ARARIPE” mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?

    A COMISSÃO DA VERDADE

    A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.

    Paz e Solidariedade,

    Dr. Otoniel Ajala Dourado
    OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
    Presidente da SOS – DIREITOS HUMANOS
    Membro da CDAA da OAB/CE
    http://www.sosdireitoshumanos.org.br
    sosdireitoshumanos@ig.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s