Faltou esclarecer

Quanto custou a obra da Câmara de Vereadores de Macapá?

Assessoria divulga release sem conter as principais informações

O presidente da Câmara de Vereadores de Macapá, Rilton Amanajás (PSDB), apresentou na terça-feira, 02 de março, o novo plenário do legislativo municipal. Foi durante cerimônia de abertura dos trabalhos no ano letivo de 2010. Contudo, apesar da obra de reforma e ampliação necessária, faltou ao presidente da CVM e à sua assessoria incluir no release distribuído à Imprensa e aos demais presentes na solenidade o valor global do serviço, qual a empresa – ou empresas – executoras e definir, de fato, o tempo de execução. São informações imprescindíveis por se tratar de recurso público, de um prédio público e de servidores (no caso específico dos vereadores) públicos (mesmo que temporários). Então, fica aqui minha sugestão: que tal a ASCOM da CVM fazer esse levantamento e divulgá-lo como modelo de gestão transparente?

Anúncios

2 comentários em “Faltou esclarecer

  1. Falta muita coisa ser explicada!!! Já que nossos vereadores só têm tempo para fazer as coisas escondidas. Mais recentemente tanto em Santana como em Macapá os nossos empenhados vereadores votaram projetos, cada um em seu determinado município um projeto de lei municipal que libera a venda de produtos alheios a saúde em farmácias privadas. Indo de encontro com as normas preconizadas pela RDC 44, normativas 9 e 10 criadas pela ANVISA. Se eles são capazes de distinquir melhor do que a ANVISA; O que é justo comercializar nas farmácias, por que não fazem projetos de saúde no nosso estado que façam a saúde melhorar de verdade, porque a maternidade Mãe Luzia está precisando de profissionais com esta qualificação. Afinal de contas quem é a agência reguladora??? Ou, eles preferem legislar a favor do empresariado das farmácias??? Fizeram um projeto sem se quer consultar algum membro das vigilâncias sanitárias municipais ou estaduais e nem algum orgão relacionado ao setor como o CRF/AP.
    Acredito muito que a população seja realmente muito prejudicada pela falta de sorvetes, picolés e outras quinquilharias, principalmente de madrugada como afirmou um famoso apresentador de programa de televisão do estado.

    Anônimo

  2. Farmacia não é mercado. Trata-se de estabelecimento que comercializa produtos ligados a saúde, portanto a idéia de drogshtores ou lojas de conveniencias, coloca em risco a saúde da população.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s