Rombo na SEED

Adauto Bitencourt teme ser abandonado por Waldez Góes

Estado emocional do secretário da Educação do Amapá inspira cuidados

Adauto Bitencourt, o secretário da Educação do governo Waldez Góes (PDT), está sobremaneira apreensivo com a

secretário da Educação
Com tanta denúncia, Adauto Bitencourt vive sobressaltado

série de denúncias envolvendo-o em suposto esquema de fraudes e corrupção montado nos subterrâneos da Secretaria de Estado da Educação (Seed) desde meados de 2003, que resultou no desvio de R$ 200 milhões. A notícia ganhou destaque na imprensa nacional, sendo veiculada por jornais de altíssima credibilidade como a Folha de S. Paulo e O Globo. Assessores próximos afirmam que o escândalo alterou visivelmente o comportamento emocional do secretário, deixando-o mais suscetível à opinião pública. Principalmente, comentam eles, porque Adauto Bitencourt vem afirmando que será candidato à deputado estadual nas eleições que se aproximam.

O secretário da Educação está inconformado. Constantemente afirma a interlocutores, qualquer um que se coloque nesse papel, não ter nenhum envolvimento com as irregularidades cometidas nos últimos anos na contratação de empresas de segurança. Inclusive, atestam eles, Adauto tem afirmado que nem mesmo conhece o empresário Carlos Humberto Montenegro, dono da Serpol – Segurança Privada Ltda, empresa que por muitos anos foi a única a prestar serviço de vigilância patrimonial para a Seed. “Às vezes, ele não diz coisa com coisa e faz afirmações que todos ao redor sabem inverídicas”, afirmou uma fonte próxima ao titular da Seed.

Alvo de intenso bombardeio desferido pelo deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB), Adauto Bitencourt tem tentado se esquivar de qualquer embate direto. Nem mesmo comparece às reuniões semanais com o governador do Amapá, tampouco cumpre com regularidade sua agenda social. O motivo de Bitencourt para tanta cautela está nos frequentes pedidos que Capiberibe vem fazendo, do plenário da AL e nos microfones das emissoras de rádio, para o governador abrir o processo de exoneração do secretário. Embora Adauto acredite que Waldez Góes dificilmente atenderá o pedido do oposicionista, não esconde de ninguém que vendo-se na corda bamba o governador decida mudar de opinião e sem dó nem piedade o atire às feras.

Anúncios

2 comentários em “Rombo na SEED

  1. Tanta injustiça! Vejam a cara de coitado do infeliz. Cade o chefe do bando? Quantos anos acobertou o crime?

  2. PIOR É O SINSEPEAP QUE NÃO SE MANIFESTA!!

    LEIAM ESTE TEXTO INTERESSANTE PRODUZIDO POR PROFESSORES

    ENTÃO.. PARA QUE FAZER UM “CAVALO DE BATALHA”?

    Presidido pelo professor Aildo Silva, o SINSEPEAP é a primeira organização social que deveria estar à frente de quaisquer movimentos em prol da Educação no Estado. Mas o que será que está acontecendo com o nosso glorioso sindicato, que já teve um passado mais atuante, realmente engajado na defesa dos interesses da categoria que verdadeiramente o sustenta? Ora, caros colegas, de alguns anos para cá, as coisas mudaram e a gente nem percebeu!

    Em Macapá, durante as últimas eleições para Prefeitura, o SINSEPEAP organizou no primeiro turno, um debate entre os candidatos e solicitou que os mesmos assinassem uma carta compromisso com a educação municipal e seus profissionais na qual constavam várias reivindicações que deveriam ser cumpridas e não que até o momento não ocorreram.

    Com a entrada de Roberto Góes, mais de 365 contratos para área da educação já foram efetivados, desfazendo um dos compromissos que era o da realização de concurso público, como consta no eixo I, inciso 10 da referida carta compromisso. Isto é sem falar na proposta ridícula articulada pelo SINSEPEAP junto a PMM de reajuste de 8 % que elevaria o salário de um professor municipal sem formação superior de 658,26 reais para 710,00 reais e para professores de nível superior de 725,73 para 783,79, muito menor do que piso salarial nacional que hoje é de R$ 950 reais e que poderá ser reajustado ainda este ano para R$ 1.132,40, conforme lei 11.738/2008. (do valor mínimo pago para escola por aluno/ano pelo FUNDEB).
    No Município de Santana, além das diversas problemáticas que ocorrem nas escolas, os quais o professor Aildo, até o momento, não procurou envolver-se. Ainda tivemos que engolir as negociatas que ocorreram em cima das propostas conquistadas pelo falecido SINSEMS. Simplesmente, o Prefeito Antônio Nogueira bateu o “pezinho”, dizendo que não tinha dinheiro para pagar o piso e o Presidente aceitou a proposta da Administração. Portanto, o que deveria ser um aumento, tornou-se uma incorporação de gratificações para que se pudesse chegar ao valor do piso! Claro! Imaginem um aumento e mais as gratificações que tínhamos? É gente! Isto era o que deveria ter acontecido! Porque, ao contrário do que Aildo falava, jamais perderíamos um direito de tantos anos! Podem consultar um advogado da área trabalhista, se duvidarem.

    A barganha também ocorreu em cima da carga horária de trabalho. No passado foi uma luta para conquistar as 30 horas (proposta inclusive do Conselho Nacional de Educação) que foram negociadas, sem resistência pelo professor Aildo! Óbvio que a Administração quer colocar a categoria debaixo de chicote – como dizia um antigo colega nosso professor, já não mais pertencente ao quadro! E os novos concursados que se cuidem! Pois estes, a Administração já bateu o martelo! Serão os primeiros a irem para o paredão! Cuidado Professores do Município de Santana! Quem cala, consente..

    À nível de Estado consta em diversas fontes de comunicação do Amapá, o escândalo referente às irregularidades detectadas na Secretaria Estadual de Educação. As investigações apontaram fraudes que somam um rombo de R$ 200 milhões, indicando como principal responsável, o atual secretário, Sr. Adauto Bittencourt. Durante esta semana não se falou sobre outro assunto. Inúmeras autoridades manifestaram-se, diversas categorias foram às ruas demonstrar repúdio à situação em que se encontra a Educação no Amapá! Exceto o SINSEPEAP!

    E para quem não sabe, nosso Estado não está mais com o 4º maior salário do Brasil. Caiu para 9º lugar. Nosso salário estagnou no Estado! E a situação das escolas está cada dia pior! Falta tudo! Material, merenda, estrutura, etc..

    Parece óbvio que o SINSEPEAP não é mais aquela organização sindical outrora tão empenhada em lutar pela causa da categoria. Agora é só mesmo um nome, que aliás está ficando bem manchado! Mas também! O que esperar de um Presidente que torra os recursos que entram no caixa do SINSEPEAP (120 mil reais por mês)? Que se reelege com o apoio descarado do GEA? Que gasta 380 mil em um muro de uma sede campestre? Que está a mais de dez anos, atrelado à administração do Sindicato? Que se cala diante da corrupção que assola todos os municípios e o Estado?

    É gente! Como o próprio Presidente diz em Assembléias… Pra que fazer um cavalo de batalha, se dá pra gente chegar à um acordo? E que acordos, hein Aido?

    PROFESSORES DA REDE ESTADUAL E MUNICIPAL DE SANTANA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s